Ficha técnica: óleo vegetal de ROSA MOSQUETA

O óleo vegetal de Rosa Mosqueta é muito conhecido pelo seu grande poder regenerador. Promove a renovação celular e auxilia imensamente na cicatrização, sendo inclusive indicado por cirurgiões nos cuidados pós-cirurgia para evitar a formação de queloides no local da incisão. Além disso, promove rejuvenescimento, proteção e hidratação.

Para saber um pouco mais sobre óleos vegetais, veja os vídeos Diferenças entre óleos essenciais e óleos vegetais aqui ou Uso de óleos VEGETAIS [5 dicas] aqui.

Agora todas as fichas técnicas terão versão em PDF para download! Para quem quiser imprimir ou ter guardado no computador, é só clicar neste link: Ficha técnica óleo vegetal de Rosa Mosqueta – PDF

Nome científico: Rosa rubiginosa ou Rosa canina

INCI: Rosa Rubiginosa seed oil

Origem: originária da Ásia, mas o Chile é um dos maiores produtores mundiais

Parte da planta: sementes

Extração: prensagem (preferencialmente a frio!)

Cor: dourado alaranjado, devido a presença de carotenoides

Características: óleo espesso rico em ácidos graxos poli-insaturados e vitamina C. É um óleo sensível à luz e ao calor e que rancifica com facilidade, portanto manter sempre na geladeira e evitar comprar grandes quantidades. Possui um odor um pouco desagradável, mas imperceptível quando aplicado na pele.

Indicações:

  • Cabelos ressecados e com pontas quebradiças.
  • Couro cabeludo inflamado, com descamação ou psoríase.
  • Lábios desidratados, pequenas áreas da face com rugas, manchas ou cicatrizes.
  • Hidratante facial noturno para peles secas e/ou maduras.
  • Demaquilante.
  • Furos inflamados de brincos e piercings.
  • Pós-cirúrgico: aplicar 7 dias após o procedimento, puro e diretamente sobre o corte já fechado, 3 vezes ao dia. Não aplicar grandes quantidades e esperar a pele absorver, pois esse óleo mancha roupas e lençóis!
  • Hidratante para áreas secas do corpo: cotovelos, joelhos, cutículas, pés, etc.
  • Unhas quebradiças e ressecadas.
  • Como hidrante corporal, diluir uma pequena quantidade em outro óleo vegetal mais leve (ex: óleo de amêndoas doces).
  • Eczema, herpes, frieiras, micoses.
  • Cortes, feridas, irritações, picadas de insetos.
  • Dores musculares, tensão nervosa.

Contra-indicações: peles acneicas e/ou oleosas.

Onde comprar: Confira as PARCERIAS do blog com links para lojas que confio e cupons de desconto! 🙂

Na hora de comprar um óleo vegetal, é importante estar atento a 3 itens: nome comercial ou popular, nome científico e o INCI Name. O nome popular facilita a busca do produto, mas é importante checar o nome científico e se existe apenas um único ingrediente na composição descrita no rótulo. O INCI (International Nomenclature of Cosmetic Ingredient) é o principal sistema de codificação para os ingredientes cosméticos, usado mundialmente para facilitar a identificação de qualquer componente de uma formulação. Se o produto for puro, apenas o INCI Name deve aparecer na composição (exemplo: óleo de Argan – nome científico: Argania spinosa – INCI: Argania spinosa kerneil oil).

Dados foram extraídos dos livros a seguir:
Guia Completo de Aromaterapia [Joanna Hoare] – compre aqui
Tudo Sobre Aromaterapia [Adão Roberto da Silva]
Técnicas de Aplicação de Óleos Essenciais [Fernando Amaral] – compre aqui
A Bíblia da Aromaterapia [Gill Farrer-Halls] – compre aqui

2 respostas

  1. Post bacana!
    Só lembrando que os óleos vegetais da Força da Terra, presente na imagem do post, não são 100% puros. Eles são acrescidos de moléculas aromáticas sintetizadas (linalol e geraniol, por exemplo).

    1. Oi, Raissa! Realmente, alguns óleos vegetais da Força da Terra são aromatizados com essências sintéticas. Mas o de Rosa Mosqueta especificamente é 100% natural, ao menos é o que consta na embalagem e no site da empresa. Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *